quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Cuspe

Entre goles de cachaça
e trocas furtivas de saliva,
eu vou cuspindo você.

Entre baforadas de fumaça
e liberdade permissiva,
vou conseguindo esquecer.

Porque eu não engulo mais
nossa história,
que ficou presa no passado.

Encontrei a paz nessa escola:
na beleza do emaranhado

de futuros incertos,
e recomeços sem fim,

de tudo que foi descoberto,
você já não serve pra mim.

4 comentários:

FernandoSDSBrasil disse...

No comments...

Anônimo disse...

Adorei amiga você realmente consegue me supreender a cada poema!

bjaum

Anônimo disse...

Por que toda relação tem que terminar em mágoa? Não deveria ser assim... Na verdade, não é assim!!!

Mariana Valle disse...

caro anônimo,

vc parece até o "que já não serve pra mim", porque ele não serve pra mim por vários motivos e um deles é pelo fato de não entender minha arte.

você, pelo visto, também não entendeu nada, mas, por algum motivo, veio me visitar... obrigada pela presença!