terça-feira, 31 de março de 2009

Eu no jornal de Sampa

Eu e meu "filho" único não estamos ricos, mas estamos cada vez mais famosos. Saímos em matéria do Jornal da Tarde (SP) sobre blogs que viraram livros. Leia a matéria clicando na foto ao lado ou clicando aqui. E compre o livro na livraria Nobel do Downtown (Barra), na Livraria diVersos da Érico Veríssimo (Barra), pelo site da Editora Multifoco, ou comigo, autografado. Saiba mais em http://sorriavoceestanabarra.blogspot.com/


REFLEXÕES SOBRE A "FAMA"

Publicidade de graça eu estou tendo, agora vender que é bom... Por que as pessoas não querem gastar dinheiro com livro, hein? Noutro dia, postei aqui um poema que fiz inspirada numa foto linda de uma bunda. E não é que logo depois recebi um e-mail muito louco (enviado pelo formulário que está na lateral desse blog), de um cara que queria transar comigo? Oferecendo 30 mil reais para um fim de semana com ele! Se não for sacanagem de algum amigo, acredito que ele só pode ser louco e gamou na foto da bunda, bela bunda, concordo. Ou ainda pesquisou depois e viu que eu escrevo poemas e contos eróticos, sei lá. Mas, sem nem considerar o fato de que a bela bunda da foto não é minha (quem dera!), o que leva um sujeito a oferecer 30 mil reais por um fim de semana de sexo com uma bunda desconhecida???

O pior é que ele não é o único. Como trabalhei em TV, sei como tem gente disposta a se vender e gente disposta a comprar sexo com um corpo bonito. É triste. Num mundo onde se valoriza astros do futebol analfabetos que pagam rios de dinheiro para zoar, cheirar, enlouquecer e posar com loiras gostosas do lado, não deve ter espaço mesmo para um simples livro, não é mesmo?

E aquelas pessoas que me mandam mil elogios apenas quando descobrem que eu apareci na mídia? E fazem questão de serem as primeiras a deixarem um comentário dizendo que fizeram parte desse sucesso. Noutro dia, um conhecido disse assim, num desses espaços públicos: "E pensar que eu peguei você no colo". Ele bem que queria me pegar no colo, mas no sentido bíblico, se é que vocês me entendem. Não conseguiu. Então, o que fez, quando teve oportunidade de me pegar no colo, ao ser convocado a dar sua opinião a meu respeito para um cara que queria me dar uma chance num cargo que eu almejava. "Ela é muito criança, não serve". Então agora, que estou "famosa", ele faz questão de espalhar aos quatro ventos que me pegou no colo? Não pegou não, querido. No máximo teve a oportunidade de pegar a "criança" no colo, mas não conseguiu, porque se achava muito grande para dividir espaço com uma pirralha... E era muito sem sal pra botar a ninfeta no colo no sentido bíblico.

E as pessoas que nunca tinham me dado bola, mesmo já tendo sido informadas previamente do lançamento do meu livro, tendo sido já tão bombardeadas com meus e-mails linkando para meus textos? Elas não acreditavam na minha qualidade literária até eu ter aparecido na mídia. Ahh!!! Apareceu no Jornal O Globo então ela deve ser boa, não é mesmo? Ou então ficou boa de uma hora pra outra. É, eu sei que sou jornalista e não deveria estar reclamando de nenhum elogio como autora nem do poder da mídia, afinal eu sempre fiz parte dela, mas, pelo menos aqui, dou vazão aos meus verdadeiros sentimentos. Na hora de vestir a camisa por uma empresa e ganhar um salário no final do mês, me prostituo sim, desde que seja com meus textos. Com a minha bunda, não! Entendeu, seu tarado de São João da Barra???

domingo, 29 de março de 2009

Vestida de Luz


Hoje vou vestida de luz
e minha estampa é o contraste
entre o breu e a claridade.
A escuridão é meu disfarce
e a luz do sol é a verdade
que me deixa no impasse:
o que escondo e o que revelo?
Não me sobram nem chinelos,
pois finquei meus pés no chão.
Então, me dê a sua mão
que já não tenho mais cabelos
e aqueles fios que jorravam
da minha cabeça sempre a mil.
Hoje vou vestida de luz
e minha estampa é o contraste
entre o breu e a claridade,
entre o disfarce e a verdade.

Inspirado na foto de Lucien Clerghe, postada no blog: http://freakshowbusiness.com/

terça-feira, 24 de março de 2009

Agora sou Trigêmea

Amigos, leitores e curiosos,

Tenho duas novidades:
Acabei de lançar, com duas amigas, o blog http://www.trigemeas.com/. Somos três geminianas, escritoras:
- a autora da webnovela Lucila 33;
- uma louca que foi parar num convento e posta de lá
- e euzinha aqui, com textos novos.

Na minha estréia como trigêmea, a confissão do estuprador/pedófilo ao padre "estupra mas não aborta", que também saiu na revista mencionada abaixo.

Lembro ainda que, em março, virei autora fixa da Revista Literária SAMIZDAT, todinha de graça e online. No link: http://www.revistasamizdat.com/

E, pra quem não lembra, tenho ainda meu blog de poesias: http://insonialiteraria.blogspot.com/ e também o blog onde você pode ler um trecho do meu livro "Sorria, você está na Barra e outras histórias" e saber tudo sobre ele. No http://sorriavoceestanabarra.blogspot.com/

Ah!!! Também assino as colunas "Tudo e mais um pouco" e "Histórias Picantes" no http://www.jornaldugaio.com/

E a coluna "Calientes" no http://www.30segundos.blog.br/

Ufa, quanto link! Ou vocês acham que uma pessoa prolixa e faladeira como eu teria apenas um??? Eles sempre estiveram aqui do lado direito, mas já percebi que muitas pessoas nem se dão conta do que há nas laterais dos blogs, então...

Beijocas,
Mari

terça-feira, 17 de março de 2009

Cultura na Barra da Tijuca

Gente, tô ficando muito saidinha. Pra vender, é preciso divulgar.
Por isso, fui ao segundo evento da Semana de Poesia na Barra e tive uma grata surpresa. Na livraria Diversos (Café e Cultura), na Érico Veríssimo, tive a prova de que a Barra também sabe muito bem organizar eventos culturais de alto gabarito, como este, capitaneado por João Luiz de Sousa.

Poetas geniais e dos mais variados estilos, música de altíssima qualidade, bebidinhas, quitutes e ainda tem sorteio de livros entre os presentes. O sucesso é tanto que o povo que está no restaurante Balada Mix, ao lado, acaba prestando atenção a tudo, se encanta e passa a frequentar a Livraria também. Olha que luxo!
Viram as fotos d'euzinha aqui declamando poemas e divulgando o meu livro? Não estou bonita nas fotos. Não importa. O que interessa é que meu livro "Sorria, você está na Barra" estará, em breve, à venda também na Livraria Diversos, na Av. Érico Veríssimo, 843 - A.

E nesta semana tem mais eventos da Semana de Poesia, espalhados pela cidade. Confira aqui a programação.

Compre meu livro pelo site da editora , ou, autografado, pelo e-mail: vendas.sorria@gmail.com

Ainda na Livraria Nobel do Downtown:
Av. Das Américas, 500 - Bl 21- Lj 138Barra Da Tijuca - CEP: 22640.100Rio De Janeiro / RJ55 21 2493-6301

Acesse a Comunidade no orkut e saiba mais.

Beijo, beijo, beijo!

segunda-feira, 16 de março de 2009

II Semana da Poesia (Programação)

Homenageando Vinícius de Moraes, meu querido e idolatrado poetinha

(15/03 - DOMINGO), a partir de 16hs:
TODAS AS TRIBOS
na praia de Ipanema em frente a Rua Vinícius de Moraes, (varal de poemas, performances, música e artes plásticas) - Mobilização à favor da estátua do poetinha no calçadão de Ipanema

segunda - 16/03:
CORUJÃO DA POESIA
na Barra da Tijuca:
20h às 24h : Livraria Diversos - (Av. Érico Veríssimo, 843, lado A - ao lado do restaurante Balada Mix)
no Leblon:
20h30 às 23h30 : Livraria da Conde - Rua Conde de Bernadote, 26, lj 125.

terça, 17/03:
CORUJINHA DA POESIA - 21 a 23h30
Pizzaria Pronto - Rua Dias Ferreira, 33 - Leblon
CORUJÃO DA POESIA - 24 às 6h
Livraria Letras & Expressões Leblon - Av. Ataulfo de Paiva 1292 Lj.C

Quarta, 18/03, 19 às 22hs:
POLEM
Praia do Leme - Quiosque Estrela de Luz (em frente ao Fiorentina)

Quinta, 19/03, 20h30:
RATOS DI VERSOS
Bar do Jô - Beco das Carmelitas - Lapa (próximo ao Beco dos Ratos)

Sexta, 20/03, 20h30 as 23h30:
MOVIMENTO INVERSO
Barteliê - Vinicius de Moraes, 190 - apto 03 - Ipanema (esquina com Nascimento Silva)

Sábado, 21/03, 19h30:
CASA POEMA (Dia Mundial da Poesia)
Rua Paulino Fernandes, 15 - Botafogo (Coordenação: Elisa Lucinda)

Maiores informações:
www.almadepoeta.com/segundasemanadapoesia.htm
semanadapoesiario@gmail.com

domingo, 15 de março de 2009

Chega de aglomerações

Como é que a gente pode mudar tanto com os anos? Antigamente, eu adorava uma aglomeração de gente. Nunca fui fã de multidão, mas adorava ir a shows em lugares abertos, festas da moda, frequentar grandes grupos, fossem eles no colégio, no trabalho, no prédio, rua, academia... Hoje não. Por mais que eu tivesse ido ao show da Madonna da outra vez, e dessa última tenha ficado só no sonho, por mais que o show dos Rolling Stones tenha sido o melhor show da minha vida e nesse último na praia eu tenha até tido uma vontadezinha de repetir a dose, hoje descubro que não, não queria ter ficado na chuva espremida com aquele povo todo de histéricos para ver minha diva. Da outra vez eu vi tudo pelo telão. E, mesmo assim, pintou uma emoção de ver a loira sabendo que ela estava ali tão perto, mas lembro que foi especial porque eu estava com amigos especiais, o que fez tudo ter um gosto diferente. E não, não queria ter enfrentado a multidão na praia de Copacabana para ver o Rolling Stones de novo e ter, quem sabe, um novo melhor show da minha vida pra ficar na memória. Não tenho mais tesão em ficar em lugar lotado. Primeiro, porque não tenho mais muita disposição, deve ser a idade. Segundo, porque nesses lugares preciso de espaço. De um mínimo de chão para dançar e de ar para respirar. E, como sou baixinha, acabo só dançando mesmo, porque acabo não enxergando nada se eu estiver a pé, no meio da muvuca.

Então sigo o pensamento para chegar na verdadeira reflexão. Não estou aqui pra levantar nenhuma bandeira de que show e/ou aglomeração de gente não é bom. Pelo contrário! Tenho inveja de quem ainda tem disposição pra isso. Por exemplo, no momento, tô ouvindo um blues genial (não me pergunte qual é a música, porque eu não sou o Pablo do SBT e é numa rádio da internet (92.9 de Nova York) cujos nomes das músicas não aparecem e eu não sou conhecedora de música a esse ponto). Mas, se show de blues fosse uma coisa que rolasse só com grandes platéias, eu iria sofrer por nunca mais ver um. Pelo menos quanto a isso não posso reclamar. Blues tem tudo a ver com pequenas casas de show, como uma que eu fui, essa sim, posso dizer também, ocasião que foi um dos melhores shows da minha vida. Foi em Nova York, no Blue Note, apresentação do Dizzie Gilespie All Star Big Band. Sensacional! Comemoramos meu aniversário em grande estilo: eu e meu marido. E aqui chego ao ponto que queria chegar. Estou cansanda de ficar exposta a muita gente. Não tenho mais forças pra falsidades, não tenho mais tesão de fazer teatrinho. Agora só tenho vontade de estar com quem gosto, com quem confio, com quem combina comigo. E são tão poucos...

Até no trabalho. Estou tão feliz por trabalhar numa agência de publicidade relativamente pequena. Ontem mesmo, o sócio comentou que a meta era aumentar para o dobro o número de funcionários e já me deu até um arrepio de medo. Socorro. Eu estava gostando tanto do jeito que tá... Vou ter que enfrentar de novo competição, gente puxando meu tapete, gente com inveja, disse-me-disse, ti-ti-ti, pirralhas imbecis trocando baboseiras pelo MSN e orkut, falando mal de você por trás e pela frente te dando sorrisinho cínico, gente com medo de você mesmo que você, inocentemente, queira ser amiguinho, mulheres inseguras com inveja de você pelo simples fato de você existir e ser mais exuberante, inteligente, talentosa ou até porque o fulano que você nem sabe quem é sente tesão por você, mas não por elas? Ah...me poupe! Deve ser isso. Estou cansada. E velha. Não tenho mais paciência pra humanidade. Socorro! Será que estou muito pessimista?

Ok, confesso. Estou na TPM, mas, descontando isso, será que estou totalmente errada ou é assim mesmo que andam os ambientes? Cansei. Cansei de gente competindo, querendo se sobressair pelas amizades, pelo gosto/cultura/conhecimento/informacão privilegiada, pelo fato de transar com o chefe, pelo fato de ser mais bonita, por estar há mais tempo na empresa. Por que tanta competição?? Por isso escrevo cada vez mais. E vou adorar quando chegar o dia em que eu estiver ganhando dinheiro só escrevendo, a ponto de poder fazer todo o meu trabalho de casa. Sonhar não custa nada... E você? Gostaria de trabalhar em casa também? A vida te fez mais ou menos sociável depois dos 30?

quinta-feira, 12 de março de 2009

terça-feira, 10 de março de 2009

Um pouco de poesia

Chega de falação, de analisar comportamentos, ditar regras, reclamar do mundo. Que tal um pouco de poesia hoje?

Amor:
Muitos carnavais - Leia
Sintomas - Sinta

Desamor:
Natural - Confira
Cena do crime -Desvende

Erotismo:
Nossa fome - Alimente-se

E para quem ficar impressionado com tanto amor e dor - e com essa infame rima - saiba que o poeta não é triste.

Bjs de poeta pra você,
Mariana*

*Sei que o certo seria eu me conclamar poetisa, mas acho essa palavra machista e muito da cafona.