quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Refém de si próprio (artigo)

Você anda angustiada, com dores no peito e um embrulho no estômago que parece querer impedir que o ar saia da boca pra fora? Mesmo que você tenha um refluxo crônico, ou apenas asia, má-digestão temporária, ou ainda tenha sido infectado repentinamente com uma bactéria ou gastrite, a cura para sua dor pode estar em dois lugares: no cérebro e no coração. Afinal, se o ministério da saúde não adverte, eu aviso: as dores da alma são capazes até de detonar um cancer no sofredor. Então, como evitar que os problemas sejam somatizados a ponto de virarem doença? Elementar, caro leitor. É preciso se libertar dos sentimentos ruins. Fazer um exorcismo mesmo. E, para isso, não é preciso de pastor, Deus, macumba ou um doutor Fritz da vida. Só você pode se curar.

A psicanalista e escritora Beth Valentim falou muito bem, aqui, sobre os desavisados que se aprisionam a pessoas e sentimentos que os fazem sofrer. Humildemente, peço permissão à psicanalista, para ir além. Ninguém nos faz sofrer se a gente não der abertura para isso. O pior prisioneiro é aquele que se torna refém de si próprio.

Um comentário:

beth valentim disse...

querida mariana...antes, parabéns pelo blog....

sobre ser refém de si próprio, tem toda razão. daí o comentário no texto para que se despeça da caverna úmida e saia tentando refazer sua felicidade...mas se optar por continuar nas mãos do "assaltante", vai ficar em companhia dos morcegos....

obrigada pela oportunidade de fazer parte do seu lindo trabalho!
entre tb em meu blog:http://bethvalentimcoisademulher.blogspot.com/

um bj carinhoso
beth valentim