segunda-feira, 5 de maio de 2008

O caso Ronaldo (artigo)

É óbvio que a "entrevista" de Ronaldo concedida ao Fantástico neste quatro de maio foi totalmente combinada e ensaiada de maneira a tentar limpar um pouquinho o filme do jogador depois do imbróglio com os travecos. Isso, qualquer telespectador não inocente percebeu. Mas o que fica girando na minha cabeça não é a dúvida ou a certeza de ele ter transado com travestis, de ele ter reconhecido ou não o pomo de adão. Isso não importa. O que me irrita mesmo, mas não me surpreende, é a ignorância e a hipocrisia coletiva que esse caso suscita.

Quer dizer que ele é menos "do bem", menos admirável por querer conhecer a dor e a delícia que tantos homossexuais e bissexuais já conhecem? Ele estaria errado por querer juntar, numa só parceira(o), o prazer estético que a mulher lhe proporciona com o prazer que só o falo alheio garante? Quantos homens já não tiveram essa curiosidade mas não têm coragem de experimentar? E ademais, quem não tem essa curiosidade não tem nada a ver com a vontade do outro, seja ele anônimo ou famoso. O que se faz entre quatro paredes é problema apenas das pessoas ali presentes. A única que poderia reclamar do ocorrido seria a namorada do Ronaldo. A dor da traição deve ser mesmo imensa, mas, se pensarmos bem, chegaremos à conclusão de que ela nunca poderia dar ao jogador o que o tal traveco deu, ou não deu. E se ela tiver o mesmo perfil das namoradas anteriores, é capaz até de se aproveitar desta "tragédia" para se promover e se "reerguer" em carreira solo.

Quando ainda se acreditava que o fenômeno tinha "apenas" ido à caça de prostitutas, o que não faltava era gente dizendo que ele fez besteira. "Um homem que pode ter as mulheres mais caras e bonitas do mundo, fazer um papelão desses pra quê? Vai ficar para sempre com sua imagem manchada, por causa de um capricho bobo", disseram, em uníssono, os comentaristas populares. Sim, claro. O inteligente e esclarecido povo perdoa que o craque pague caro, não oficialmente, para ter as mulheres lindíssimas que deseja. Mas pagar uma mixaria oficialmente não pode!

Eu confesso que, no lugar dele, iria fugir das interesseiras, mas se tivesse que pagar, pagaria as oficiais e não aquelas que se dizem apaixonadas, de olho na fama e no dinheiro. Ao assumirem que fazem sexo por grana, as prostitutas e travestis me parecem muito mais dignas do que as modelos e afins que fazem "amor" por dinheiro e sucesso. E os travestis não são muito diferentes de Ronaldo e de qualquer outra celebridade que, como ele, manipula sua imagem para se tornar um nome vendável no mercado. O dicionário não me deixa mentir. Eis a definição do termo "travesti" do Uol Michaelis. "1 Disfarce sob o traje de outro sexo. 2 por ext Disfarce." Por extensão: disfarce. Ronaldo não fez outra coisa nessa entrevista que não fosse disfarçar a verdade!

No entanto, não há nada pior nessa história do que a citada mancha na imagem do craque. O Fantástico abriu o programa desse domingo preparando os ânimos dos telespectadores justamente mostrando depoimentos de empresários e assessores sobre como se deve administrar a imagem de famosos. Ao citar o dia em que Ronaldo visitou crianças carentes lá do outro lado do mundo, por conselho do seu então assessor, Rodrigo Paiva, a reportagem avisou: Ronaldinho é apenas uma das celebridades que agem muitas vezes com o único propósito de criar a tal da boa imagem. O que nos lembrou o quanto celebridades desse quilate são fabricadas e falsas. Se pelo menos metade dessa grana toda de publicidade, que vai para Ronaldo e seus iguais, fosse destinada a benfeitores que efetivamente se importam e fazem algo pelas crianças famintas do mundo, haveria muito menos crianças famintas no mundo.

Por isso tudo, acho que esse caso serve para as pessoas refletirem um pouco sobre suas próprias vidas. Quem adora imitar os ídolos famosos, copiando corte de cabelo, roupas e atitudes, poderia aproveitar para enxergar que nem sempre o que veste ou traveste esses sujeitos (trocadilho inevitável) vai cair bem no seu próprio corpo. Nem sempre os objetos de uso dos famosos irá satisfazer as necessidades e desejos dos seus fãs. Eles são pessoas falhas como outras quaisquer e, às vezes, muito mais carentes e inseguras do que nós, pobres mortais. Principalmente esses que vivem controlados pelos mantenedores de imagem. Deus me livre de estar no lugar de um deles!

Agora, se depois de toda essa polêmica, Ronaldo tivesse assumido no Fantástico, ou em qualquer outro veículo, que queria fazer sexo com um travesti sim e que isso diz respeito apenas a sua vida pessoal, ele teria finalmente tomado uma atitude de homem, com H maiúsculo e muito peito. Aí sim, eu viraria sua fã.

5 comentários:

FreakShowBusiness disse...

Que lucidez! Concordo contigo do início ao fim. E que texto bom, lindinha!
Alexandre

Anônimo disse...

Tem um detalhe nessa história que me faz dar um crédito pro Ronaldo. Pesquisando na Internet você descobre que essa tal de "Andréia" anuncia seus serviços como sendo somente 'passiva'...? Então, no máximo o Fenômeno queria traçar um traveco e não ao contrário.

Mais ainda. Digam o que quiserem, mas essa Andréia engana sim. Porque ela tem cara de vagaba feia, algo que exerce um certo fascínio nos homens. Só sendo homem pra entender essa parte.

Acho que ela enganou ele sim, e ele só descobriu quando chegaram as outras, já mais nitidamente travecos.

Parabéns pelo Blog!

Bjs.

Mariana Valle disse...

Cada um acredita no que quer, querido "anônimo"! E cada um tem os seus critérios para dar ou não crédito para as pessoas...

Muito obrigada pela visita e pelo comentário!

Jorge disse...

Oi Mari, parabéns pelo blog, gostei. Acho que é mais um espaço para debates de idéias. Quanto ao texto sobre o caso do Ronaldo com os Travecos, concordo com tudo que vc escreveu. Só acho que a mídia deu, e está dando muita enfase ao caso. É lógico que esse tipo de coisa dá muita audiência e vende jornais, sobre tudo num país como o Brasil. Gostaria de ver as pessoas se interessando mais pelas grandes questões para melhorar o país, mas infelizmente vejo que isso tá difícil, por enquanto.
Grande beijo!!!

Douglas disse...

Esse caso do Ronaldo acabou fazendo "concorrência" na mídia com o caso Isabella, que dava a sensação de ocupar uns 120% do tempo dos noticiários. Enfim, outro caso que causou tanta "comoção midiática", afinal, coitadinho do Ronaldo!

Eu sou admirador do futebol dele, do que ele fez pela seleção, ele é um exemplo de superação indubitável. Mesmo não estando muito aquém de seu futebol, continuo sendo admirador do jogador. A vida pessoal dele não me importa muito, não sou amigo dele. Mas que foi engraçado (obvio, não foi comigo), ah, isso foi! Que pisada na bola que ele deu. Acredito sim que ele tenha sido vítima de extorsão e foi corajoso de peitar e levar o caso à polícia ao invés e pagar o valor que os travecos pediram.

Eu não consigo acreditar que ele tenha procurado travecos mesmo, acho que foi um engano, mas, como você disse muito bem, ele tem todo o direito de fazer da vida pessoal o que ele quiser.

Mas, infelizmente pra ele, pessoas públicas e tão queridas como ele não possuem vida privada e são obrigadas e tomar providências como aquela entrevista combinada no Fantástico.

E o papelão da UNICEF? Que agora veio dizer que ele nunca foi embaixador de nada. Por que nunca disseramisso antes?

Enfim, bananas pra UNICEF (nesse caso) e bola pra frente pro Ronaldo, porque nesse país tudo se esquece.