domingo, 4 de maio de 2008

Hereditariedade (poema)

Por que o teu passado me persegue
se o presente carrego sozinha?
Pra quê memória de tua vida
se na vida a dor é minha?

Nosso cordão não se cortou
e teu ventre ainda me abriga,
o teu rasgo cicatrizou
e arde em mim a tua ferida.

As tuas rugas não te envelhecem
só te completam, te fazem rica.
A tua tristeza não te merece,
então em mim ela se explica.

Mas é redundante sofrer assim.
Se nos teus olhos nascem as lágrimas,
porque diabos morrer em mim?!

4 comentários:

Nancy&Pietro disse...

que bonito e triste mari. Da muito pano pra manga na analise, heim? :-) parabens pelo blog
bjs
nancy

carolina disse...

Também achei triste mais tinha quase certeza que esse poema não era de hoje que estava guardado,vim aqui nos comentários só pra confirmar!!!Amei o site está lindo e acima de tudo inteligente! A reportagem sobre o Ronaldinho ,...bom é tudo o que eu tb penso (voCê me conhece) e sabe acho que deveria ser o enfoque da mídia mas aí iria ter mnuita confusão né ,Já pensou?Já,vc já pensou, tanto que escreveu e publicou isso aqui!!!rsrsr!!!|Mas prima parabens pela iniciativa e que faça muito sucesso saiba que o que eu puder fazer pra divulgar ,farei!!!Mega beijo!!!Carol!!

Mariana Valle disse...

Nancy e Carol,

Como já dizia Fernando Pessoa,
"o poeta é um fingidor, finge tão completamente, que chega a fingir que é dor, a dor que deveras sente"

Afinal, qual relação de mãe e filho que não dá pano de manga pra análise? Esperem só seus filhinhos crescerem...

Mas é exatamente por isso que gosto de escrever. Um poema que redigi no longínquo 1996 consegue comever pessoas tão especiais como vocês até hoje!

Muito obrigada pela visita e pelos comentários! Voltem sempre!

RogerioS disse...

Mariana,
Parabéns! Muito bem transado seu blog. Poesia, adoro isso.
Beijos,

Rogério Sacchi